Pesquisar este blog

HOJE É DIA DE FAXINA!

Gente, hoje é dia de faxina, mas não é na casa não! A faxina hoje é em mim mesma, rs... depilação, cabelo, unhas e vocês que são mulheres sabem como essas coisas demoram, por isso não postarei receitas hoje. Mais tarde retorno e, se der tempo, faço as visitinhas ao blog de vocês que AMOOOO!

Foto da internet
Bom final de semana a todos vocês, segunda-feira eu volto, se Deus quiser! Éééé... tem faxina hoje e amahã também e domingo vou dedicar o dia ao maridão.
Bjssss, fiquem com Deus! =)

Aproveitando...

Hoje é aniversário da Aline!!! Parabéns minha linda, como queria estar aí com você!!! Saiba que, apesar da distância, meu coração está juntinho do seu te desejando muita paz, saúde, felicidades, sucesso, não somente hoje mas em todos os dias de sua vida!!!


Bjssss,
tia Si

TORTA MERENGUE DE CHOCOLATE E MORANGO

Bom dia, amigos!

Esta sobremesa fiz para o almoço do domingo de Páscoa. É de um livro que já faz um tempinho que eu tenho, são receitas especiais com o leite condensado da Nestlé, Moça - Fazendo Maravilhas com Leite Moça, é o nome do livro.
Mas confesso que, por um vacilo meu, perdi todo o merengue, buá, buá, buá... se não fosse isso a sobremesa ia ficar perfeita, mas como nem tudo são rosas, deu para tirar os espinhos e aproveitar o talo.

Torta Merengue de Chocolate e Morango
(by livro de receitas - Fazendo Maravilhas com Leite Moça)

Ingredientes:
Merengue
  • 3 claras
  • 1 1/2 xícara (chá) de de açucar
  • 2 colheres (sopa) de chocolate em pó solúvel Nestlé
  • manteiga para untar
Recheio
  • 1 lata de leite Moça
  • 1/2 xícara (chá) de chocolate em pó solúvel Nestlé
  • 1 colher (sopa) de maisena
  • 3 gemas
  • 1/2 colher (sopa) de gengibre ralado
  • 1 1/2 medida (da lata) de leite
  • 1 caixa de morangos picados
Modo de preparo:
Merengue
Bata as claras na batedeira até dobrar de volume. Acrescente o açucar e bata mais um pouco. Junte o chocolate em pó e bata até ficar homogêneo. Coloque em uma forma de aro removível (26 cm de diâmetro) forrada com papel manteiga e untada nas laterais. Espalhe delicadamente o merengue no fundo e laterais da forma com o auxílio de uma colher. Leve para assar em forno médio-alto (200°C), preaquecido, por cerca de 40 minutos. Retire do forno e reserve.

Recheio
Em uma panela, coloque o leite Moça com o chocolate em pó, a maisena, as gemas, o gengibre e o leite. Misture bem e leve ao fogo, mexendo sempre. Após levantar fervura, cozinhe por cerca de 3 minutos e desligue o fogo. Deixe esfriar, despeje sobre a massa de merengue e junte o morango picado.

Cobertura
Decore com chantilly e com os morangos. Sirva gelado.

Dicas da Si:
- Eu usei uma forma de fundo falso e também deu certo. Tirei o fundo falso coloquei sobre o papel manteiga, risquei com um lápis e depois cortei forrando certinho o fundo da forma.
- Agora é que a vaca foi pro brejo, atolou e não saiu mais. O meu fogão tem o timer, eu programei 40 minutos numa temperatura de 200°C conforme pede a receita e fui fazer outras coisas e de repente senti um cheiro de queimado... tostou todinho o meu merengue, só salvou a parte de cima, mas assim mesmo ficou com gostinho de queimado. E ainda faltavam 10 minutos para terminar o tempo, mas foi vacilo meu, eu deveria ficar atenta, até meu marido que só entende de comer me disse: "40 minutos pra um suspiro é muita coisa!" Mas como tem uma frase em inglês que diz "keep calm and carry on" (mantenha a calma e siga em frente), foi o que eu fiz, respirei fundo e segui em frente. Se com 30 minutos de forno já tostou, então imagino que deva ficar pronto em 20 minutos. Com certeza vou fazer de novo e conto pra vocês o tempo certinho, 40 minutos da receita não deram certo.
- Ao preparar o recheio não coloque a maisena diretamente sobre os outros ingredientes, dissolva antes no leite.
- Eu não usei o gengibre porque eu não tinha aqui em casa, mas se eu tivesse lembrado quando estava no supermercado eu tinha comprado.
- Enquanto o recheio de chocolate esfria, vá higienizando os morangos e depois pique-os.
- O chantilly eu usei o da caixinha pequena, resfrie bem antes de usar e coloque os acessórios da batedeira (tigela e pás) também na geladeira assim você alcança o ponto do chantilly mais rapidamente. Eu usei também o chantilly em spray com bico pitanga para fazer o desenho de estrela.

Desculpem pelas fotos, mas quando queimou perdi o gosto em tirar fotos, rs. Tentei esconder o queimado, ninguém merece, né amigas?! Mas apesar de tudo ficou bem saboroso, a combinação do recheio, morangos e chantilly ficou perfeita. Meu marido até tentou me animar dizendo: "eu gosto de suspiro queimado." Judiação, obrigada morzão, valeu pela força!!! =)

Olhando assim por cima parece tudo bem, mas o fundo e as laterais ficaram pretos, rs.


A foto para por aqui, no recheio, rs.

BACALHAU DE FORNO

Olá amigos, bom dia!
Eu tinha falado para o meu marido que este ano não íamos comprar bacalhau para a Semana Santa ($$$), mas chegou no finalzinho do segundo tempo não aguentei e resolvi comprar, rs. Fomos sábado ao supermercado correndo para comprar o bacalhau e ainda dar tempo de dessalgá-lo para eu fazer no almoço do domingo de Páscoa. Chegando ao supermercado só sobraram os caros e os baratos feios, rs, até que fuça daqui e fuça dali achei umas embalagens de bacalhau já limpos e cortados em lascas, mesmo porque se eu fosse comprar em postas, até dessalgar ia ficar pra Páscoa do ano que vem, rs. Vim embora feliz da vida pensando nas mil possibilidades que poderia fazer com o bacalhau. Na verdade eu queria fazer a receita do Filipe, marido da Aline, receita típica e legítima de família portuguesa, mas como o bacalhau não era em postas, então, afoguei essa ideia e parti pra outra.

No sábado, passei a tarde inteira preparando a sobremesa para o almoço de domingo e pensando o que fazer com o bacalhau, eu tinha um pensamento fixo: tinha que ser assado. Procura receita daqui, dali e nada a contento, pensei: quer saber? Vou me aventurar e fazer da minha cabeça mesmo, seja o que Deus quiser e assim foi... naquele estilo... à moda Si, rs.

Bacalhau de Forno
(by Si)

  • Eu usei mais ou menos uns 750g de bacalhau que comprei já limpos e cortados em lascas e que dessalguei por 6 horas com 2 duas trocas de água na mesma temperatura, ou seja, coloquei o bacalhau na água e levei à geladeira por 2 horas, fiz a primeira troca com água também gelada que já deixei na geladeira para esse fim, deixei por mais 2 horas, fiz a segunda troca de água e deixei na geladeira até o dia seguinte na hora de usar. Na verdade deu mais de 6 horas, mas isso porque eu usei só no dia seguinte, se fosse usar no mesmo dia 6 horas são suficientes para dessalgar o bacalhau em lascas. Para saber mais sobre o bacalhau e o processo de dessalga clique AQUI.
  • No dia seguinte, retirei o bacalhau da geladeira, escaldei em água fervente por 5 minutos.
  • Na própria água que o bacalhau foi escaldado, acrescentei uma pitada generosa de sal de funghi e cozinhei 4 batatas médias que descasquei e cortei em rodelas com um dedo e meio de espessura (o meu dedo é magrinho, rs). Não deixei a batata cozinhar completamente, quando espetei a faca e vi que estava macia, mas firme, desliguei o fogo e escorri no escorredor de legumes/macarrão.
  • Em seguida tirei a pele de 2 tomates grandes que cortei em rodelas finas e temperei com sal de funghi, bem de leve.
  • Feito tudo isso montei as camadas: num refratário, reguei azeite generosamente e fiz uma camada de batatas, uma camada de bacalhau em lascas e uma camada de tomate, reguei com um fio de azeite e repeti as camadas terminando com os tomates. Por cima de tudo, joguei 1 ovo batido que temperei com sal e noz moscada (a gosto), salpiquei queijo parmesão ralado e levei ao forno preaquecido a 200°C até gratinar. Por fim, assim que tirei do forno salpiquei cheiro verde em conserva (para saber clique AQUI), reguei com um fio de azeite e decorei com azeitonas verdes. Sirva com arroz branco.
Dicas da Si:
- Você pode acrescentar às camadas pimentões verdes, vermelhos e amarelos cortados em rodelas. Vai ficar um prato bonito e colorido.
- Procure usar um azeite de boa qualidade, o azeite quando é bom dá um sabor muito especial ao prato, eu uso aquele extra virgem, gosto muito.
- Eu descasquei os tomates porque não gosto da pele, mas se você gosta não precisa descascar.
- Você pode usar azeitonas pretas ao invés das verdes ou as duas, rs, eu não usei a preta porque não tinha aqui em casa.
- Ao invés de bater o ovo e jogar por cima, você pode decorar com rodelas de ovo cozido no final, eu  não decorei porque prefiro o ovo batido, forma uma omelete quando assa dando um sabor muito especial, faça dessa maneira e depois me conta o que achou.


Antes de ir para o forno











SUFLÊ DE MERLUZA

Bom dia, amigos!
Todo ano na Sexta-feira Santa eu faço ou bacalhau ou falso bacalhau ou cação ou pescada, sempre os mesmos. Este ano resolvi fazer algo diferente! E através das minhas andanças pelos blogs amigos vi essa receita da Paty do blog Meu Prato Favorito, é uma cozinha muito gostosa, muito família e aconchegante. É uma receita fácil de fazer e como eu estava naquela correria foi perfeita, o marido adorou e eu também! =)
A receita é assim:

Suflê de Merluza
(by Paty do blog Meu Prato Favorito)


  • Em uma panela refogue 2 cebolas e 1 dente de alho em 4 colheres (de sopa) de azeite. Acrescente 3 tomates picados e cozinhe por 5 minutos. Junte 400 gr de filé de merluza (cortado tipo iscas) temperado com limão, sal e alho. Junte também 50 gr de azeitonas picadas e cebolinha e salsinha a gosto. Reserve. 
  • Cozinhe 5 batatas médias e amasse. Junte 3 gemas e 2 colheres (de sopa) de farinha de trigo e 2 colheres (de sopa) de queijo parmesão ralado. Misture as batatas e o refogado de merluza. Bata 3 claras em neve com 1 pitada de sal e misture delicadamente à mistura acima. Polvilhe 2 colheres (de sopa) de queijo ralado. 
  • Leve para assar em refratário untado com azeite por 30 minutos. Forno preaquecido a 200ºC.
Dicas da Si:
- Como somos em duas pessoas aqui em casa eu diminui esta receita usando: 2 colheres (sopa) de azeite, 2 tomates que tirei a pele e as sementes, 300g de filé de merluza, azeitonas somente algumas, pois o marido não gosta, 3 batatas médias, 1 colher (sopa) rasa de trigo e 1 ovo (gema e clara separadas conforme a receita). O queijo parmesão ralado eu usei a vontade.
- O filé de merluza que eu tinha em casa era aquele embaladinho da Costa Sul que vende em supermercado, mas tinha pele e muita escama, deu um pouquinho de trabalho para limpar e cortar em iscas, por isso prefiram aqueles filés de merluza que já vem limpos sem pele e sem espinhas e também são mais carnudos o que rendem mais.
- As batatas eu cozinhei já descascadas e picadas e passei duas vezes pelo espremedor.
- No final de tudo, depois de assado, reguei com um fio de azeite.





Obrigada Paty pela receita maravilhosa!!! Bjsss

OVO DE PÁSCOA - PRESENTE

Ontem, domingo de Páscoa, almoço em família e eu estava louca para abrir o meu ovo da Páscoa que ganhei do marido, rs. Mas devido aos excessos cometidos no almoço com direito a sobremesa depois acabei não abrindo o meu tão desejado ovo. =(
À noite, antes de dormir me dignei apenas a tomar uma vitamina de maçã e banana e pronto.

Todos os anos costumamos comprar ovos de Páscoa caseiro de uma moça aqui em Guará. Sempre encomendamos o de prestígio que é um sonho de chocolate, o melhor, as minhas sobrinhas Aline e Milena gostam tanto que, quando fui aos EUA eu até levei um pra Aline na mala que a moça muito gentilmente fez especialmente para eu levar, já que a época da Páscoa já tinha passado. Já a Milena, este ano, encomendou o de prestígio e crocante e eu pra variar um pouco encomendei o de crocante e dispensei o de prestígio achando que eu ia me arrepender pelo resto da vida, mas qual não foi a minha surpresa... meu Deus, maravilhoso!!!

Mas hoje, sem delongas, logo após o almoço, sozinha em casa (marido que me perdoe, rs) abri o meu ovo da Páscoa e... aaahhhh... cada mordida um flash...


O pretinho básico é o meu crocante, os outros dois são da Milena, crocante e prestígio


Recheios de maracujá, brigadeiro, limão e trufa
Como já disse em outros posts, não sou fã de limão, limão pra mim é só pra temperar peixes e saladas, quando mordi o bombom e senti gostinho de limão, comi, mas deixei para o marido terminar depois, rs (não pode jogar comida fora, né gente, é um pecado).

Obrigada marido lindo pelo ovo maravilhoso, a noite a gente come juntinho (eu no repeteco, né) rs.

No decorrer da semana coloco aqui pra vocês as receitas que fiz no domingo de Páscoa, Bacalhau de Forno e Torta Merengue de Chocolate e Morango, o merengue a gente pula, posso dizer que foi uma Torta de Chocolate e Morango, depois conto como tudo aconteceu.

Bjssss,

SÃO BENEDITO, PADROEIRO DOS COZINHEIROS

Hoje é feriado aqui na cidade de Guaratinguetá, comemora-se o dia de São Benedito, o santo Padroeiro dos Cozinheiros e, sendo uma amante da cozinha, não poderia deixar de prestar uma homenagem a ele.

Aqui em Guará são 254 anos de comemoração e o feriado sempre cai na segunda-feira após a Semana Santa, isso porque, segundo a história, a festa teve início na época dos escravos onde os grandes fazendeiros se reuniam na Catedral de Santo Antonio para celebrar a semana Santa. No domingo de Páscoa os fazendeiros pra mostrar suas riquezas mandavam seus escravos desfilar com seus cavalos pelas ruas da cidade. Os escravos por sua vez faziam suas orações a São Benedito, o Santo negro. Assim nasceu a Cavalaria de São Benedito e São Gonçalo. Na segunda-feira os escravos ganhavam o dia de folga para festejar seus Santos e eles celebravam São Benedito.

Ontem, domingo de Páscoa, aconteceu a tradicional cavalaria de São Benedito e São Gonçalo que reúne cerca de 2000 cavaleiros devotos do Santo passando pelas principais ruas da cidade.

Cavalaria de São Benedito 2010
Logo de manhã, por volta das 05:30h, 06:00h de hoje, se ouvia os fogos dando início a Alvorada Festiva com um belo café da manhã e a missa em memória aos cavaleiros falecidos. Hoje também tem a tradicional distribuição de comida e dos doces de São Benedito. Há quem diga que quem comer destes doces nunca passará fome.

foto: redemetropolitana.com.br
Que São Benedito interceda por todos os cozinheiros e cozinheiras do Brasil e do mundo, por todas as famílias e em especial por nós, donas de casa, blogueiras, que amamos cozinhar para que nunca falte o alimento em nossa mesa. Amém! 

SÃO BENEDITO, ROGAI POR NÓS!

Conheça a história de São Benedito, Padroeiro dos Cozinheiros.

FILÉ DE PESCADA NA MANTEIGA

Bom dia amigos,
De volta à minha cozinha virtual e nesses dias de "recesso" a minha cozinha real estava a todo vapor, rs. Embora o tempo estava bem corrido devido as atividades na igreja, me desdobrei pra tentar fazer pratos gostosos para trazer pra vocês. Esta receita, por exemplo, que fiz no almoço de quinta-feira me surpreendeu. Dificilmente aqui em casa eu faço frituras, procuro sempre fazer refogados, grelhados ou assados, mas como eu disse, meu tempo estava corrido e precisava de algo rápido e, então, saiu este prato, no estilo que vocês aos poucos estão conhecendo "à moda Si", rs, espero que gostem!

Filé de Pescada na Manteiga
(by Si)


Ingredientes:
  • 300g de filé de pescada
  • 100g de manteiga (ou margarina)
  • 1 limão
  • tempero a gosto
  • 1 abobrinha italiana em juliene
  • 1 tomate sem sementes cortado em pétalas
  • azeite a gosto
Modo de preparo: tempere os filés de pescada com o suco de meio limão e tempero de sua preferência. Leve à geladeira por, no mínimo, 30 minutos para pegar gosto. Enquanto isso, numa panela, coloque 1 colher (café) de manteiga, 1 pitada de sal (eu usei sal de funghi) e refogue a abobrinha em juliene até que murchem. Coloque num prato formando um "ninho" e reserve. Na mesma panela da abobrinha refogue o tomate cortado em pétalas até que murchem. Reserve. Numa frigideira coloque a manteiga aos poucos e vá fritando os filés de pescada, em seguida, vá colocando os filés em cima da abobrinha, com um espremedor de limão, vá espremendo a outra metade do limão sobre os filés e regue com um fio de azeite. Ao redor dos filés coloque as pétalas de tomate.

Dicas da Si:
- O corte "juliene" consiste em cortar os legumes ou frutas em tiras bem finas com o auxílio de uma faca bem afiada. O meu corte não saiu tão juliene assim justamente porque minha faca já está pedindo aposentadoria, rs. Mas se cortar em palitos mais grossinhos também fica muito bom. Fique atento para não cozinhar demais a abobrinha senão depois na hora de montar o prato ela pode desmanchar, ela deve estar firme, porém, macia.
- O tomate a mesma coisa, não cozinhe demais, ele deve estar firme, porém, macio. Para cortar em pétalas, procure usar um tomate vermelho e firme, se tiver muito maduro ele vai se quebrar.
- Cuidado na hora de tirar os filés da frigideira depois de fritos, por ser uma carne bem tenra e macia eles se quebram facilmente.
- Este prato me surpreendeu pelo sabor, a combinação da manteiga, limão e azeite deu um toque especial, sem falar no tomate e na abobrinha que temperados com sal de funghi e refogados na manteiga, huumm... sem comentários, rs.
- Não tem sal de funghi? Improvise: com o "socador" de alhos, soque um pouco de sal com os temperos secos que você tem em casa, orégano, tomilho, sálvia, manjericão... ou bata tudo no liquidificador. Para a receita do sal de funghi a Andréa do Aromas e Sabores dá a dica pra você!



CANELONE RÁPIDO

Bom dia amigos,
Esta receita faz muito tempo que tenho, é da minha coleção de mini livros da Melhoramentos que comprei logo quando comecei a me aventurar pela cozinha. Esta receita faz bem o meu tipo: rápida, prática e muito fácil de fazer. Vamos a receita?

Canelone Rápido
(by mini livros - Ed. Melhoramentos)


Ingredientes:
  • 1 pacote (1/2 kg) de macarrão para lasanha
  • sal
  • 200g de presunto em fatias
  • 200g de mussarela em fatias
  • 1 lata de molho de tomate
  • 1 pacote (100g) de queijo parmesão ralado
Modo de fazer: leve ao fogo uma panela grande com bastante água e sal. Quando a água começar a ferver, coloque as tiras de macarrão para cozinhar (poucas de cada vez). Quando ficarem cozidas, vá retirando com uma escumadeira e estendendo sobre um pano de prato. Depois que todas estiverem cozidas, coloque sobre cada tira 1 fatia de presunto e 1 de mussarela, enrole e vá arrumando numa forma refratária. Regue cada camada com o molho de tomate e polvilhe com queijo ralado. Leve ao forno para aquecer bem e derreter o queijo.

Sugestão: Se tiver tempo, no lugar de um molho de tomate simples, use molho à bolonhesa preparado por você mesma que o canelone ficará ainda mais gostoso.

Dicas da Si:
- O macarrão para lasanha eu uso aquele pré-cozido e já usei do outro também, o resultado é o mesmo. Só o tempo de cozimento é que muda, o macarrão pré-cozido leva menos tempo para ficar pronto.
- Eu nunca uso o pacote todo do macarrão, eu já faço a conta certa que cada um vai comer, assim não sobra. Mas se sobrar, corte os canelones em tiras grossas, coloque num refratário, jogue molho de tomate leve ao microondas por 2 minutos, dependendo da quantidade e pronto o seu canelone virou rondelli, rs.
- Você pode substituir o presunto e mussarela por frango desfiado, carne moída, camarão (faça com molho branco, fica mais gostoso, é o que eu acho, rs) ou outro recheio de sua preferência.
- Eu servi os canelones com frango cortado em cubos, temperados com sal de funghi e fritos na manteiga e no final salpiquei gergelim tostado por cima.


Como a quantidade que eu faço é pouca, só dá uma camada de canelone, fiz dessa forma só para posar para foto, rs, mas se fizer em quantidade maior vá intercalando canelones com o molho de tomate.


Que tal hoje???

FRATERNIDADE E A VIDA NO PLANETA

Bom dia amigos,

Vocês já pararam pra pensar no nosso planeta??? Não nas pessoas que o habitam, mas no planeta propriamente dito??? Já pararam pra pensar que ele por si só tem vida??? E já pararam pra pensar também nos fenômenos climáticos, muitas vezes catastróficos, que andam acontecendo nos últimos anos??? Por que será??? O que será que está acontecendo com o nosso planeta??? Com certeza ele não está bem e para evitar que ele morra, morrendo também tudo que nele habita, precisamos fazer alguma coisa já! Aliás ele já está dando sinais de que está morrendo, por isso o foco da Campanha da Fraternidade deste ano é para a salvação e preservação do planeta como uma busca incessante de uma vida sustentável. O tema da campanha é "Fraternidade e a Vida no Planeta" e o lema é "A criação geme em dores de parto" (Rm 8, 22). A Campanha da Fraternidade nos faz repensar sobre as nossas atitudes em relação ao tema proposto durante toda a quaresma que, por sinal, está chegando ao fim, mas isso não significa que o assunto morreu e não se fala mais nisso, muito pelo contrário, a nossa mudança de atitude, neste caso, para uma vida sustentável deve ser contínua, incessante e incansável, pois estamos falando da vida do nosso planeta e não pense que você não tem nada com isso porque você não é um marciano de férias aqui na Terra, ou é? ...

A equipe da Campanha da Fraternidade da arquidiocese de Aparecida colocou à disposição das comunidades nas paróquias, um tambor para depósito do óleo de cozinha usado, uma iniciativa bacana de conscientizar as pessoas para não jogar o óleo de cozinha usado nos ralos da pia e nem no lixo.



maquete: o lixo que produzimos quando não reciclado prejudica o nosso planeta (não deixe a plantinha que está no alto morrer, ela representa o nosso planeta)

Eu já falei da importância de preservar o nosso planeta em outros posts, com pequenas atitudes já estamos contribuindo para uma grande ação em benefício da nossa "casa primeira", o planeta Terra!

Saiba mais sobre reciclagem e como fazer sabão a partir do óleo de cozinha usado.

Para saber mais sobre a Campanha da Fraternidade 2011 em nossa (arqui) diocese, clique AQUI.

Cartaz da CF 2011

CAÇÃO À MODA SI

Olá amigos,
Ontem foi um daqueles dias corridos, café da manhã, feira, almoço, marido de folga... precisava pensar em algo rápido e prático para o almoço, pois ainda tinha que sair para resolver umas coisas, já que hoje a maioria do comércio não está funcionando devido ao feriado de Tiradentes e também por ser quinta-feira Santa, então tive que resolver tudo ontem mesmo e como tinha comprado cação na feira resolvi fazer. Na verdade, eu tinha em mente, fazer o cação assado com molho branco que fiz uma vez aqui em casa, mas por causa do blog eu andei espalhando as minhas receitas de uma forma que não consegui achar a receita do cação, então foi de improviso mesmo, mas nada de assado e molho branco, foi bem estilo "Si", por isso "apelidei" de "Cação à moda Si", rs.

Cação à Moda Si
(by Si... nossa! quanta Si, rsrsrs)

  1. Eu comprei o cação em postas, tirei os "ossinhos" e dividi em 4 pedaços. Temperei com limão e tempero pronto em pasta. Se preferir, pode temperar com sal, pimenta e limão ou conforme desejar. Deixei alguns minutos na geladeira para pegar o tempero.
  2. Em seguida fiz uma mistura de fubá com sal de ervas, passei os pedaços de cação neste mistura, dos dois lados, apertei bem para a mistura aderir ao peixe.
  3. Fritei em óleo bem quente nos 3 primeiros minutos e depois abaixei a temperatura deixando no fogo médio. Tirei do fogo com uma escumadeira assim que ficaram dourados. Escorri em papel toalha.
  4. Descasquei 2 batatas médias e cortei em rodelas não muito finas, coloquei em saco plástico com uma pitada de sal e levei ao microondas por 3 minutos e meio na potência alta. Depois fritei até que ficassem crocantes.
  5. Montei numa bandeja alface crespa rasgada com as mãos, tomates cortados em rodelas, as batatas fritas e o peixe também frito, acrescentei azeitonas e pedaços de limão taiti.
Dicas da Si:
- Eu usei duas postas de cação que dividi em 4, portanto, deram 8 pedaços, o restante congelei.
- A mistura para empanar, se você não tiver o sal de ervas (que dá um sabor muito especial ao prato), poderá usar alecrim fresco picadinho ou o seco ou misture ao fubá temperos em pó do tipo Sazón, como o Verde que é próprio para peixe ou ainda faça uma combinação de ervas de sua preferência.
- Sempre que você for empanar carnes, aves ou peixes leve à geladeira por, no mínimo, 30 minutos antes de fritar, assim evita que a farinha ou a mistura que você usou para empanar solte no óleo quente.



O sal de ervas é do meu kit de especiarias, mas se você quiser saber como se faz, clique AQUI que a Andréa Potsch do Aromas e Sabores ensina pra você!

Amigos, ficarei fora da blogosfera nesses dias Santos devido as minhas atividades na igreja (as postagens foram programadas), com isso ficarei devendo as visitinhas ao blog de vocês, desculpem-me, mas retornarei na segunda-feira se Deus quiser! Bjss e ótima Páscoa para todos!!!

Sileni

PASTEL DE BELÉM

Bom dia amigos,
Final do ano passado e início deste ano, minha irmã tirou férias do trabalho e passou uns dias em Portugal e Espanha. Quando ela me falou que ia para Portugal pensei logo nos deliciosos pastéis de belém! Fiz mil recomendações a ela que tirasse fotos dos pastéis e de tudo que se referisse a ele para eu postar aqui no blog, rs. Ela não só tirou as fotos como também trouxe os pastéis de belém, nham, nham... delícia!!!

Bem, eu já tinha comido os pastéis quando a Aline foi para Portugal e trouxe alguns  para mim, achei deliciosos e não imaginava que um dia ia comer de novo tão cedo, rs, embora  a Aline sempre está em Portugal, já que o marido dela é português e toda a família dele mora lá, mas dificilmente ela vem de Portugal para o Brasil, o trajeto é sempre Estados Unidos - Portugal, Portugal- Estados Unidos, Estados Unidos - Brasil e vice-versa. Só desta vez que ela foi para Portugal e de lá veio para o Brasil.
Mas voltando aos pastéis, quando comi pela primeira vez achei deliciosos, isso porque ele fez uma viagem de quase 10 horas, imagina você comê-los lá em Portugal, na hora, quentinhos... imaginem... nossa, deve ser melhor do que bom demais, fico até salivando, rs. Quem sabe um dia não tenho essa chance!

E desta vez que a minha irmã trouxe comi até me fartar... muito bom!!! Quentinho, gelado de qualquer jeito é bom, mas quentinho com aquele açuquinha e aquela canela salpicados em cima, não tem pra ninguém... é um sonho, ou melhor, pastéis de belém!

Minha irmã trouxe também um encarte que eles (lá em Portugal) colocam na porta do quarto do hotel para que você possa fazer encomendas dos pastéis e neste encarte conta, de forma breve, a história dos pastéis de belém e diz assim (vou reproduzir a escrita exatamente como veio no português-portugês, não português-brasileiro, ok?):

PASTÉIS DE BELÉM
MAIS DO QUE UMA ESPECIALIDADE ALFACINHA,
UMA EXPERIÊNCIA DE NATA COM CHEIRINHO A CANELA.

Este é o segredo mais bem guardado da doçaria nacional. A longo de gerações, o Pastel de Belém tem mantido, com toda a justiça, uma fama sem paralelo gastronómico. A história desta iguaria remonta a 1837 quando um frade, do vizinho Mosteiro dos Jerónimos detentor de uma receita de pastéis de nata mas sem meios de subsistência, se associa a um abastado brasileiro que se estabelece em Lisboa, abrindo uma confeitaria na Rua de Belém.

O negócio depressa prosperou, tal como a fama dos benditos pastéis, outrora confeccionados dentro do Mosteiro dos Jerónimos. Belém, antes um arrebalde de Lisboa, vê-se "invadida" por multidões apostadas em conhecer este doce conventual, numa tentação que, 170 anos passados, se mantém bem viva.

A receita, por enquanto, só mesmo por aproximação, mas é com todo o gosto que a trazemos até si... ainda quentinha.

Pena que quando chegou até mim estava friinha, rsrs, mas igualmente maravilhosa!

E vocês viram que tem dedinho de brasileiro no meio da história??? rsrs. Eita parceria boa!!!

A seguir algumas fotos que a minha irmã me enviou por e-mail

Torre de Belém





 


Fábrica dos Pastéis de Belém






E agora o "ouro" do post, os Pastéis de Belém



As fotos a seguir são dos pastéis que vieram pra minha casa e eu fiz bom proveito deles, rs.


Por dentro é um creme delicioso
A embalagem onde vieram os pastéis e os sachês de açucar e canela que os acompanham


É claro que é muito difícil conseguir a receita original do pastel de belém, pra não dizer impossível, rs, mas andei pesquisando na internet e a mais próxima que eu achei foi no Cybercook.

Verdadeiro Pastel de Belém
Receita indicada por: Dina Azevedo

Ingredientes
Receita para 20 pastéis:
Massa:
- 300 g de farinha
- 250 g margarina para folhados
- sal e água
- ou poderá usar massa folhada comprada pronta, nesse caso, só terá que estendê-la e forrar as forminhas conforme o indicado

Recheio:
- 1/2 L de natas ou creme de leite
- 9 gemas
- 10 colheres (sopa) de açúcar

Modo de Preparo
Misture a farinha o sal e a água trabalhe a massa até ligar. Divida a margarina em 3 porções. Estenda a massa, espalhe sobre ela 1/3 da margarina e enrole como um tapete. Repita esta operação mais duas vezes, até acabar a margarina. No final deixe descansar 20 minutos. Em seguida corte a massa em quadrados de 2cm de espessura, e coloque cada quadrado sobre uma forma lisa própria para madalenas ou muffins. Leve ao fogo em banho-maria as gemas batidas com o açúcar e as natas até o preparado engrossar.
Deixe amornar e coloque uma colher (sobremesa) do preparado dentro de cada forminha. Leve ao forno, até ficarem cozidos e tostados. Podem ser comidos mornos ou frios.
Para facilitar pode utilizar o mesmo processo, forrando uma forma grande e fazendo uma torta; deve tentar não fazer a massa muito grossa, pois quanto mais fina, mais deliciosa.

Eu ainda não fiz nenhuma receita de pastel de belém, nem parecida, se alguém aí já fez conte para nós!!!

Todas as fotos aqui postadas com exceção das três últimas são de Sandra Machado.

Obrigada maninha querida pelas fotos e principalmente pelos pastéis, são deliciosos. Quando você for de novo, você pode trazer mais??? (hihihi)

PS: Quando li o texto do encarte fiquei me perguntando o que será que é "alfacinha"??? (rsrsr) Segundo o dicionário Michaelis, alfacinha é o nome que se dá ao habitante de Lisboa.

Bjsss,

LIVRO DE GASTRONOMIA

Olá amigos,
A Aeronáutica lançou um livro entitulado Gastronomia - Central de Produção do Galeão onde 15 conceituados Chefs de Gastronomia foram convidados para produzir receitas que são utilizadas para a refeição coletiva. Este foi um projeto criado para comemorar a consolidação do processo de implantação da Central de Produção do Galeão, por isso o livro tem este nome porque a Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, iniciou em agosto de 2008 a operação da primeira Central de Produção de Alimentos atendendo a diversas organizações da Guarnição do Galeão, tendo como foco o fornecimento de alimentação de forma eficaz, eficiente, com qualidade e segurança. É um livro que conta toda a história deste projeto que foca a Segurança Alimentar de algumas unidades da Força Aérea Brasileira.

No decorrer do livro algumas frases me chamaram a atenção:

"Não há nada mais prazeroso do que uma ideia que chegou no tempo certo." (Vitor Hugo)

"... quando se planeja e se prepara uma iguaria, o profissional de Subsistência naturalmente se sente mais artista do que técnico, explorando a imaginação e a criatividade." (Maj Brig Int Pedro Norival de Araújo)

"... fazer da alimentação habitual algo prazeroso é decididamente uma arte, um devotamento, um sacerdócio." (Brig Int Eurico Jorge de Lima)

"O sonho de todo o Chef de cozinha é ter o seu próprio restaurante. Só assim você consegue impor seu estilo. Tem de ter disciplina, humildade e dedicação. Nem tudo é glamour." (Chef João Vergueiro)

"A vantagem de ter uma estrada longa de trabalho é aprender a aproveitar as coisas boas de cada cozinha, criando um estilo próprio, que valoriza, sobretudo, o sabor de cada ingrediente." (Chef José Ribeiro)

Os 15 conceituados Chefs de Gastronomia:

- David Eleutério e Ralf Himmel
São Chefs sócio-diretores da empresa de consultoria GastroConsult, atuando em diversas áreas do universo FoodServices.

- Renato Freire
Comanda um grupo de 72 pessoas na centenária Confeitaria Colombo patrimônio cultural e artístico da cidade do Rio de Janeiro.

- Rolland Villard
Chef do restaurante Le Pré Catelan do Hotel Sofitel Rio de Janeiro, único Chef da América Latina a fazer parte da Academia de Culinária Francesa, com vários prêmios desde 1983.

- Eduardo Mesquita
Chef desde 1999, foi tradutor de gastronomia no show dos Rolling Stones no Brasil em 2006 e hoje executa a supervisão de procedimentos na Rede Parmê e Bendita Fruta. Professor no SENAC desde 2007, ministrando aulas no curso técnico de Chef Executivo de Cozinha.

- Gerard Diviney
Chef formado na Inglaterra, teve rica experiência em gastronomia, passando por várias países da Europa. No Brasil fez sucesso no Hotel Intercontinental, Sheraton, Bourbon & Resorts e no JW Marriot Internacional. Considerado um Chef sempre acima da média, chegando entre 90% e 100% nas pesquisas do GSS (Guest Satisfaction Survey).

- Leninha Camargo
Chef de cozinha com formação internacional em Enogastronomia Italiana pelo ICIF - Italian Culinary Institute. Pós-Graduada em Gastronomia e Segurança Alimentar pela Universidade de Brasília, tornou-se especialista em Azeites e serviços de Buffet pela Etoile - Istituto Superiore Arti Culinarie.

- João Vergueiro
Presidente da Associação Brasileira de Alta Gastronomia (ABAGA), formou-se na École Le Cordon Bleu, em Paris, onde recebeu o Grande Diploma de Cozinha e Confeitaria. No Brasil, foi Chef de cozinha no Capim Santo, Tartari's, Limone, Narciso e hoje também é sócio do Rôti - Restaurante e Pâtisserie.

- Jonathan Lauriola
Nascido na Itália, Florença, iniciou seus estudos especializando-se em gastronomia e trabalhando em hotéis importantes de Florença. Ficou fascinado pelo mundo paralelo dos doces onde passou cerca de 4 anos. Veio para o Brasil e aqui ficou, encantado com a natureza e o clima.

- José Ribeiro
Formado em Nutrição Aplicada à Indústria Alimentícia pela University of North London e especializado em culinária pela Gloucestershire School of Arts and Technology, em Cheltenham, na Inglaterra. Morou 18 anos em Londres onde trabalhou em restaurantes famosos, além de ter vivido por períodos diferentes na Itália, Israel, Egito e Tailândia. Em todos esses lugares, procurou conhecer as particularidades da culinária local, buscar novos ingredientes, temperos e técnicas que revolucionaram sua cozinha.

- Ana Salles
Começou na gastronomia por influência da avó, autora do best seller Sebastiana Quebra Galhos que ensinou para a neta truques da culinária. Fez o Curso Superior de Gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo, após especializou em culinária italiana pelo Italian Culinary Institute for Foreigners. Passou pelas cozinhas do Nacional Clube, do Vecchio Punto (com o Chef Francis Reynard) e do Novotel.

- Allan Espejo
Especialista em gastronomia espanhola, com influência da cozinha italiana e brasileira. Hoje é proprietário de uma rede de 13 restaurantes com 80 funcionários. Faz um programa diário de televisão onde aborda a cozinha do dia a dia e culinária de outros países. Tem oito livros publicados, dentre os quais Receitas de Princesa e Comer Fez o Homem foram premiados mundialmente pelo Cookbook Awards.

- Samantha Aquim
Formada na École Lenôtre, uma das melhores escolas gastronômicas do mundo. Chef do bufê Aquim, desde que chegou ao Rio de Janeiro, cria sofisticadas, exclusivas e deliciosas receitas. Ganhou por 4 anos consecutivo o título de melhor  bufê do Rio de uma revista especializada em gastronomia e conquistou 2ª e 3ª colocação em prêmios de Chef revelação e patissier.

- Luiz Incao
Delegado regional da ABAGA RJ, teve sua primeira experiência como proprietário de um pequeno restaurante com a influência culinária italiana de sua mãe. Nos EUA, trabalhou na rede Haward Johnson e Rammada Inn. Completou seus estudos em gastronomia no East Sydney Technical College na Austrália e como Sous Chef do Carlton Rex Hotel e Wentworth Hotel, aperfeiçoou sua técnica com a forte influência das cozinhas francesa e inglesa.

- Renato Vicente
Membro da ABAGA (Associação Brasileira de Alta Gstronomia), o Chef Renato Vicente está recriando o conceito da cozinha portuguesa nos hotéis Pestana Rio e Pestana Angra, com as técnicas da alta gastronomia internacional. À frente do Cais da Ribeira, cria releituras contemporâneas sobre os pratos de Portugal.

- Francesco Carli
Nascido em Asiago, próximo a Veneza, Francesco, desde cedo, mergulhou nos negócios da família, proprietária de um hotel na região. Com 17 anos, após cursar hotelaria, viajou por todo o norte da Itália, como ajudante de cozinha, tornando-se um profissional tão experiente que foi convidado para trabalhar no restaurante Cipriani, em Veneza. Com talento indiscutível, foi enviado em 1994 para a abertura do mesmo restaurante no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro e dali não saiu mais.

O livro

Chef Eduardo Mesquita
 
Chef Ana Salles
 É um livro bem legal, com receitas incríveis produzidas pelos renomados Chefs de cozinha do Brasil e do mundo.
Parabéns a Força Aérea Brasileira, em especial pela Base Aérea do Galeão por esta iniciativa.

Saiba mais sobre a Central de Produção do Galeão e o seu projeto na área de segurança alimentar clicando no link.

Bjss,
Si
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
VIVENDO E APRENDENDO © Copyright 2012. Desenvolvido por Elaine Gaspareto